Sunday, July 31, 2005

O Cara do Contrabaixo

Ele tirou o cigarro da boca, bateu no cinzeiro, tocou de leve as teclas e perguntou:
- O que você quer?
Ah eu queria muito mais do que uma simples música, ele sabia bem, mas era esta mensagem não dita que, antes, tornava mais denso o laço que nos unia.
Engoli em seco e respondi:
- Cole Porter
Sorriu, colocou o cigarro no canto da boca e começou... tocando as teclas devagar, amorosamente, como me preparava para o amor.
A música, nossa música.
Acompanhava o ritmo com a cabeça, com os pés, com o corpo( e eu também seguia atrás ) inundando de tons a tarde clara.
O apartamento estava escuro contra a luz que morria lá fora. Permanecíamos assim, unidos pelo som. O contrabaixo estava esquecido em um canto, hoje era dia de piano, dia de percorrer rios e cachoeiras.
Nós. Silhuetas caladas, mas tão unidas que uma simples palavra quebraria o encanto.
Cole Porter.
Ele terminou a nota macia e me agarrou. Me pegou com violência, como era seu feitio quando mais estávamos perdidos de paixão.
Me empurrou contra o piano, levantou minha saia e me fez percorrer outras cachoeiras, me fez derreter em outros rios. Calados, nos amamos, machucando teclas, gemendo apenas, na escuridão que se adensava.
Então , ele me largou de repente, apanhou o contrabaixo, andou até a porta, pegou o maço de cigarros sobre o piano, olhou longamente para mim, como se decorasse cada detalhe e saiu.
Foi embora, para nunca mais voltar.

6 Comments:

Blogger Leila Silva said...

Olá, Mhel! Estamos seguindo hein? Esse eu não conhecia. Sempre bom.
Beijos

5:19 AM  
Anonymous Anonymous said...

o som das águas
perpetra silêncios
nas bocas caladas
e arranca gritos
ritmados de noites


bj
Nel Meirelles
http://www.falapoetica.blogger.com.br

1:06 PM  
Anonymous Edison Veiga Jr. said...

Dispensa adjetivações de minha parte. Mais uma vez, parabéns!

6:47 PM  
Anonymous Anonymous said...

Excelente, como sempre. Só não posto no meu Blog "O Conto Que Eu Gostaria de Ter Escrito", por razões óbvias.
(A menos que o Cara do Contrabaixo fosse eu mesmo)
Sil (Ray)

9:55 PM  
Anonymous virginia said...

Impecável......
Como sempre.
Beijos e parabéns!!!!
Amo ler vc!
Beijos
Vi

8:59 PM  
Anonymous Maria said...

Lindo, maravilhoso, eu até pensei que fazia amor com "ele" era eu.
Eu já tive um amor que terminou assim.
Com uma única frase...
"Me deixa ir embora Maria".
E deixei, não tinha mesmo outra opção, e se tivesse não gostaria.

Maria.

m_c_leao@hotmail.com

2:00 PM  

Post a Comment

<< Home


Web Hosting Services