Thursday, October 27, 2005

De Lavanda


O sexo gemeu mas as pernas andaram, direção do certo. Olhar perdeu o rumo, deu cansaço, cólera, peste, vitiligo, coração parou. Morri. No rastro fui chegando, entorpecida. Dei de beber, fumar, dei pro rei, a rainha, os valetes, perdi seu amor e agora este perfume... Sem rumo fui vagando, entrei em lupanares, fiz força de salmão, enfrentei corredeiras, andei fora dos trilhos e todo trem me pegou. Lavanda... perfume que enterrei bem fundo nesta cova. Eu piso no teu corpo, sapateio no tumulo. Porque o amor é feroz, ah é feroz quando brota e se rasga. Cuspo em ti. Porque o amor é feroz ah é feroz, coração

2 Comments:

Blogger Rubens da Cunha said...

eu quero este texto pra mim.:)
lindo
rubens

2:05 PM  
Blogger Cláudio B. Carlos (CC) said...

Belo texto!

12:37 PM  

Post a Comment

<< Home


Web Hosting Services