Tuesday, October 11, 2005

Momento II ( pessoas )

Vago e antigo
o olhar é morto
perdido
( por que caminhos me naufraguei
em que escolhos me dispersei ? )
Na parda noite cultivo o ócio
( por que me escondo de teus olhares
em quem agora me olharei? )
pobre de vestes
pobre de amores
num raio tímido
além da vida
( ontem fui príncipe em mil pomares
Ah ontem sim eu fui rei de mim )
Liso e sem bordas
de volta ao ovo
hoje estou só
como um morto novo.


Pintura - Maria Bandeira

3 Comments:

Anonymous tania said...

Mhel,amei a tua tela e, em conjunto com a poesia,então,ficou perfeita.
Parabéns,também, pelo texto anterior,lindíssimo.As imagens estão um show à parte.Estás verdadeiramente te saindo muito bem
nesta área(quando se faz algo com grande vontade,fica mais bonito ainda.
Feliz dia das crianças(que ela esteja sempre viva e manifesta em teu interior...e que a ouças,viu? É muit importante).
bjos,Tania

1:12 PM  
Anonymous Edison Veiga Junior said...

Meus parabéns, Merrel!!
Muito bom! Aliás, o blog continua em alto nível!

6:53 PM  
Blogger Rubens da Cunha said...

Helena,
obrigado pelos comentários no Casa.
Este teu poema é muito bom, este final é um chute você sabe onde...
Eu se fosse vc adiantava a leitura do Lavoura Arcaica, é a nossa linguagem, que a gente adora, cheia de dor e exasperação. Fora a poesia que é intensa. O Raduan deu uma de Salinger, e escreveu apenas tres livros, parece que esgotou. Mas é o tipo da obra que basta para colocar o nome dele entre os grandes da literatura contemporânea.
beijos
Rubens

4:30 PM  

Post a Comment

<< Home


Web Hosting Services